quarta-feira, 28 de abril de 2010

Em 2010 seu cabelo é chocolate. Seu beijo consta o sabor azul. Seus lábios vermelhos dão tonalidades maçã aos meus dedos ao tocá-los. As segundas teus olhos tem cor cajá. Quem me dera comer teu cheiro macio. Tocar teus sonhos coloridos à moda retrô. Quem me dera ver tua pele vibrante. No reflexo dos seus óculos ganho animação. Quem me dera espremer um limão nos teus olhos, só pra ver qual cor eles obtém. As quartas dentro deles chovem penas de pavão, e as sextas tem cor de ameixas gordas, pretas e brilhantes, de maciez sem igual. As Luas Cheias você se transmuta em vampiro com sabor framboesa. Morde meu pescoço, e suga meu sangue pra fazer o nosso mar. Sangue cor doce, frutas-vermelhas. Sangue cheiro macio. 1951, mês 13, dia 500 nos casamos. Em época de jabuticaba temos edredom de orégano. Cheiro de roxo. Pão-de-mel. Pão-doce. Lua-de-mel debaixo do cobertor. Hoje somos, o sentido do futuro. A sinestesia. Se é que nos entende. Sinestesia, se entenderia, subentenderia que sente-se algo sinestésico. Sinestesia, com ou sem fantasia ?

Escrito por: Louanny e Devana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário